Páginas

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Feira do livro do Ciep: eu fui!

Tanta coisa acontecendo e eu sendo soterrada por tanto trabalho, que mal consegui passar aqui e contar de algo bacana de que pude fazer parte. Não que eu precise fazer o ritual do "meu querido diário" para os outros, não. É para mim. Para que daqui um tempo eu possa voltar aqui e lembrar do que vi, do tanto de iniciativa bonita que dá certo, de escola que ainda se acredita. É importante fazer registro para os dias futuros, aqueles que vão parecer sem esperança. 

Enfim: o professor Felipe Nóbrega, professor do Ciep, entrou em contato comigo e convidou para a 1ª Feira do livro do Ciep. Inicialmente, era para fazer uma oficina com os alunos do ensino médio. Daí, eu contei a ele do Invitro - Laboratório de Escrita Criativa e ofereci o grupo todo para ir até lá, dialogar com a gurizada. Ficou combinada essa oficina, à tarde, e uma conversa minha com as professoras dos anos iniciais, pela manhã, tudo no dia 11 de julho.



Cheguei na Feira do Livro do Ciep bem no meio do lançamento do livro dos alunos, uma sala cheia de professores e de gente importante da cidade (da 18ª CRE, da política, da imprensa...) para conhecer o projeto. Vi o professor coordenador da proposta dar entrevista à RBS, um movimento interessante no pátio nas trocas de livros, a expectativa da comunidade escolar por tudo o que poderia rolar naquele dia atípico. Conversei com as professoras sobre O poder da autoria na escola, falei do quanto o trabalho docente e os espaços de formação continuada influenciaram e influenciam na minha decisão de "sair do armário" e me assumir escritora. 

Eu vi o Ciep ser construído. Passava de ônibus ali na frente todos os dias quando ia para a escola onde fiz boa parte do meu ensino fundamental. Era uma construção gigantesca na época. Hoje, com 23 anos, o Ciep é gigante na proposta e diante dos desafios que enfrenta. É muito parecido com o meu Caic. Fui tão bem recebida que me senti em casa. Levei o Um ninho no estranho para mostrar às colegas e depois fiquei na torcida pela oficina da tarde, de que eu não poderia participar por causa do trabalho. E foi sucesso, pelo que contaram. O Felipe Nóbrega conta do evento no blog dele, com o carinho de quem pertence e acredita no poder transformador da docência. E não é assim, com pertencimento e fé incansáveis, que se faz educação de qualidade nesse país? Obrigada, Ciep, pelo convite e pela acolhida. :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário