Páginas

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Leitura

Li
os lençóis do teu corpo
os arranhões da tua cama
a fome dos teus pés
o horror dos teus olhos

Li
a tua mão em fogo
o teu ventre lascado
a tua cor desmerecida
o teu contentamento afogado

Li
a tua nudez
e o teu desconforto
e o teu tédio
e a tua mágoa

Li
E te descobri por dentro
e encobri a ferida
e sorri aberto
e quis por perto
o teu descompasso

Li
entrelinhas, urgência
entrevertigem, descontrole
entredentes, doença
entrenós, pontes
cordas,
alento,
letra,
fé,
alimento

Li,
mas o meu ler,
a minha lida,
não abre as tuas portas
gera vida em mim,
mas não cura
a tua alma torta
que insiste
que quer assoprar
da tua língua a luz.

25 de abril de 2009.

Poema selecionado no Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio Sarau Brasil 2012. 

Um comentário: